29 de maio de 2014

Blogagem Coletiva: O Que Todo Mundo Ama E Eu ODEIO!


Este post faz parte da blogagem coletiva do Rotaroots. Um grupo de blogueiros saudosistas que resgata a velha e verdadeira paixão por manter seus diários virtuais. Faça parte do nosso grupo no Facebook e inscreva-se no Rotation.

Adorei esse tema! Não conheço outra pessoa que odeie mais as coisas do que eu. Fiz um esforço descomunal mentira para resumir meus ódios em somente dez ou eles iriam muito longe. São eles:


1 - Harry Potter
Comecem a me odiar agora, porque mais para frente fica pior!
Não consigo gostar de Harry Potter, já tentei, juro, mas não me desce. Pra mim, ser o centro das atenções, ser o mimimi poderoso, o fodão e fazer seus amigos de seguidores, não é nada legal. Não gosto da história e não posso nem ver a cara do Daniel Radcliffe que já me irrita. Pra mim, Harry Potter é o Crepúsculo da magia.


2 - Temaki
Já experimentei vários tipos de Temaki, mas não vejo graça em um monte de arroz, com peixe cru por cima e enrolado numa alga sem gosto. Você come o peixe gostoso e fica só com o arroz sem graça.




3 - Friends
Existe série mais chata? Já perdi "amigos" por não gostar de Friends. Odeio todos os personagens, não acho graça, é uma série velha, sem sentido... Friends não tem graça e Não é legal, aceitem isso!



4 - Bebidas Alcoólicas e Baladas
Demorei alguns anos pra me convencer que não gostava de Baladas. Queria ser uma adolescente normal, que ia para as festas com as amigas, mas não rolou. Acho chata, não tem nada pra fazer, as músicas são todas iguais e não vou beijar mil caras que nunca vi.
Junto vem as bebidas alcoólicas. Sempre tentei gostar de cerveja, caipirinha, vodka, sangria, mojito e afins e bebia com os amigos só pra não pagar de chata, mas sempre passava muito mal. Levei alguns anos pra descobrir minha intolerância a álcool. Isso explicou muita coisa.



5 - Beatles
Parece que você só pode ser alguém legal ou culto se gostar de Beatles. Se você não gosta, automaticamente, se torna uma pessoa burra e sem graça.



6 - Literatura Erótica e Fantástica
ODEIO "50 Tons de Cinza", "Crepúsculo", "Divergente", "Jogos Vorazes", "Cretino Irresistível", etc. Se colocar Vampiro/Lobisomen com literatura erótica, então... É de atirar na minha cara! E, aparentemente, as pessoas desaprenderam a escrever qualquer coisa que não seja erótico ou fantástico ou erótico E fantástico. Onde foram parar os romances normais?



7 - Gilmore Girls
De repente, todo mundo ama "Gilmore Girls" e todo mundo quer ser Rory e blablabla! E todo mundo se identifica com ela porque é certinha, inteligente e "ah, ama livros como eu, neh?". Gente, espelho tá ai pra gente usar, viu?






8 - MMA/UFC 
Não vejo graças em lutas (exceto as do Video game, claro). Tem menos graça ainda quando tem um monte de gente torcendo em volta e as pessoas estão se machucando. Violência gratuita e desnecessária.



9 - Bolacha (Aqui é SP) OREO
Qual a graça dessa bolacha? Negresco é bem mais legal e bem mais barato, muito mais gostosinha!



10 - Gente Cool/Descolada
Tem coisa mais chata do que aquele povo que se acha muito descolado e que tem gosto musical único, se veste diferente, compra na "Forever 21" e na "GAP" ao mesmo tempo, cursa moda ou desenho, se diz entendida em tudo quanto é tipo de make e é completamente Cool?


Já podem me odiar, eu deixo.  

28 de maio de 2014

"If I Stay" - Se eu ficar (2014) - Gayle Forman


Sinopse:
"Aos 17 anos, a musicista Mia é uma adolescente como tantas outras. Tem pais amorosos, uma melhor amiga e um namorado apaixonado. Sua vida, no entanto, não é livre de escolhas dolorosas, como decidir se permanece fiel ao seu primeiro amor – a música –, mesmo que isto signifique perder seu namorado e deixar todos os que ama para trás. O poder da família, da música e do amor, este é o mote de "Se Eu Fica", primeiro romance da escritora premiada e jornalista norte-americana Gayle Forman a chegar ao país.
Em uma manhã de fevereiro, Mia sai para um passeio com a família e, em um instante, tudo muda. A última coisa que lembra é estar no carro com seus pais e seu irmão mais novo, Teddy, em uma estrada repleta de neve. De repente, está em pé fora do seu corpo, ao lado dos cadáveres de seu pai e sua mãe, observando ela e o irmão serem atendidos pelos paramédicos."

Assim como sou apaixonada por Robert Downey Jr. e assisto/leio tudo o que se refere a ele, existem mais alguns atores que eu faço o mesmo e Chloë Grace Moretz é uma das atrizes dessa lista. Chloë é mais conhecida por interpretar "Carrie, A Estranha" num remake de 2013 que eu não assisti, já que vi o antigo remake quando era mais nova e acho que é uma dose suficiente de Carrie por uma vida inteira. Já assisti alguns de seus filmes como "Kick-Ass", "Sombras Da Noite" e "Para Maiores".

Cenas do Making Off
"If I Stay" é baseado no romance de mesmo nome, da autora Gayle Forman, tem estréia prevista para 12 de Agosto nos EUA e 04 de Setembro de 2014 no Brasil e foi todo gravado nas cidades canadenses de Vancouver e Coquitlam. A Adaptação do livro para o cinema está em desenvolvimento desde 2009, passou pelas mãos de diversos diretores e tinha Dakota Fanning cotada para interpretar Mia, mas Dakota acabou recusando o papel por querer terminar o segundo grau e não querer nenhum trabalho por agora.

Procurei o livro por causa do filme. Acompanhei o Making Off, vi todas as fotos possíveis do filme e o trailer, mas foi pela curiosidade (olha ela aqui outra vez) de saber se Mia sobrevive ou não que procurei o livro e não me arrependi. Alguns dizem que o livro será relançado em Agosto pela Editora Novo Conceito, mas já existe uma edição de 2009 da Editora Rocco, então se você está curioso e não pode esperar até Setembro, leia a edição da Editora Rocco.
Algumas Capas do Livro
Procurei por todos os tipos de Spoilers possíveis e imagináveis que existiam na internet antes de iniciar a leitura do livro e... Não foi o suficiente. Eu estava preparada para ler sobre Mia, sobre seus pais, sobre Kim e sobre os avós, mas não sobre Teddy, seu pequeno irmãozinho. Resultado: O livro me surpreendeu e eu chorei por umas boas quatro horas depois de terminar de ler.

Apesar de ter uma narrativa leve e simples, de não te levar muito fundo em cada personagem e ser levemente superficial em alguns pontos, "Se eu ficar" é um livro lindo, que te leva pela simples, mas feliz vida de Mia e de seus familiares. É uma história linda e se você é sentimental, prepare-se para chorar, sério.

O livro já tem continuação e se chama "Where She Went" e, através do ponto de vista de Adam, conta sua vida três anos após o acidente de Mia. Infelizmente, ainda não há previsão de lançamento no Brasil.

Agora é só esperar por Setembro e ver se o filme será tão bonito quanto o livro, não que eu vá assistir ao filme assim que estrear, porque se eu já chorei com o livro, o filme vai me matar, eu sei. A não ser, que tenham feito uma adaptação diferente, nunca se sabe.

Abaixo você confere o trailer legendado de "If I Stay" e vamos amar a Chloë!



PS: Chloë está cotada para mais alguns filmes que estão em produção em 2014, dentre eles estão "O Protetor", "Dark Places" e "Clouds Of Sils Maria".
Fonte sobre o filme:  GETRO

27 de maio de 2014

Unha da Semana: Miss Rôse - 005


O azul está em alta, então, as unhas dessa semana estão azuis.


Ainda não conhecia a marca de esmaltes "Miss Rôse", mas quando vi o verde na prateleira, fui obrigada a comprar e junto com ele, comprei outras cores, dentre elas, o azul. Acho uma graça que os vidrinhos sejam em força de maçã.

Miss Rôse - 15ml - Cor: 005
O esmalte é cremoso e tem uma boa cobertura, mas o único ponto negativo é a demora para secar. Você tem que esperar secar completamente a primeira camada para poder passar a segunda e, depois, com a segunda camada quase seca, passar um camada incolor de secagem rápida ou o esmalte vai amassar.


Quando comprei, achei um pouco caro, R$6,50, mas já vi algumas pessoas que pagaram até R$10,00 reais pelo vidrinho lindo em forma de maçã, ABSURDO!


Se você ignorar o preço alto e a secagem demorada, o esmalte é ótimo. As cores são lindas e vibrantes e tem uma ótima cobertura e durabilidade.

25 de maio de 2014

A Garota Invisível - Marília Prata


A história que estou prestes a contar não trata de super-heróis, como você possa imaginar. Ela é sobre uma garota.

A garota invisível.

Ela nasceu anos atrás, na madrugada, enquanto a cidade era refém de uma chuva torrencial... Ou teria sido durante o dia, numa manhã em que o sol brilhava como cristal? Era difícil lembrar; as cortinas fechadas escureciam o quarto da maternidade. Ou será que toda aquela escuridão era proveniente da ambulância, que vinha a toda velocidade?

De modo ou de outro, uma coisa podia ser afirmada: a garota invisível tinha um nome, e isso nada nem ninguém contestava. Mas agora me falha a memória, e eu não saberia dizer. Beatrice, Sophia ou Louise, qual desses nomes deveria ser?

Bem, dessas informações, nenhuma verdadeiramente importava. Porque, da garota invisível, ninguém jamais lembrava.

A escola era um grande problema para a garota invisível. Ela tentou todos os modos de interação com seus colegas – sorrisos, acenos, às vezes, até tímidas conversas. Nada daquilo, contudo, adiantava.  Ninguém nunca na garota invisível atenção prestava.

Em casa, a situação também não era das melhores. O pai era muito ausente; o humor da mãe, um dos piores.

Um dia, a garota invisível cogitou se não passava despercebida por sua extrema palidez. Decidiu ir à praia, pegou um bronze. Não funcionou. Sua pele sensível tornou-se vermelha e ardente, e, ainda por cima, depois de alguns dias descamou.

Bufante, a garota invisível foi para seu quarto, deitar-se. Desejou, então, ser um fantasma; quem sabe, assim, pelo menos um médium a avistasse.

De todos os amigos imaginários da garota invisível, o Sr. Espelho lhe era o mais especial. Refletindo sua imagem diariamente, ele a lembrava de que ela era real. Ela não imaginava que pudesse existir, na face da Terra, amigo mais leal.

Mas nem tudo que é bom dura para sempre, e uma tragédia aconteceu. Em uma manhã nublada (ou uma noite iluminada?), Sr. Espelho morreu.

Em desespero, a garota invisível ajoelhou-se e, com a visão que teve, chocou-se. Ela não sabia o que fazer. Cuidadosamente, tentou os estilhaços do amigo, fragmentado sobre o piso do quarto, colher.

Infelizmente, todos os seus esforços foram em vão. Sr. Espelho foi enterrado à sete palmos do chão.

A garota invisível nunca se sentiu tão só. Inconsolável, sentou-se perto da porta (janela), onde derramou lágrimas tão invisíveis quanto ela.

Questionou-se, então, em meio a tanta solidão, se de fato era um ser existente e, aos poucos, suas pernas e braços começaram a ficar transparentes. Foi surpreendente.

Para ninguém foi importante o seu repentino sumiço. A polícia não foi atrás. Não havia notícias sobre ela nos jornais. Nem mesmo na escola, onde, agora, uma cadeira vazia havia, nenhuma criança sua falta sentia.

A garota invisível havia desaparecido. Ela havia ido embora, sem deixar rastros de que, algum dia, teria sequer vivido.

24 de maio de 2014

Quatorze Coisas Para Fazer em 2014


Eu sei que estou muito um pouco atrasada com essa TAG, mas ainda tem muita coisa que eu quero fazer em 2014. Não sei se vou ter tempo, vontade ou possibilidade de completar todas, mas espero conseguir. Abaixo segue uma lista das 14 coisas mais importantes que eu quero fazer em 2014.


1 - Terminar e Publicar meu livro (independente da forma);

2 - Me mudar; (09/06/2014)
Sim, eu consegui me mudar, enfim. Continuo no mesmo bairro de sempre, mas o apartamento é MUITO melhor!

3 - Emagrecer 5kg;
Emagreci os famosos 5kg que eu queria, o problema que agora quero emagrecer mais! ahahaha

4 - Ter um emprego que me faça feliz;
Por dois meses, eu tive um emprego que me fazia feliz, tão feliz que até briga tinha, olha que legal! Só que ele não era compatível com a minha vida na internet, uma vez que era proibido usar a internet ou o celular no emprego, uma tristeza.

5 - Adotar mais dois gatinhos;

6 - Acertar/Mudar a cor do meu cabelo; (29/06/2014)
Consegui ter uma cor linda de cabelo após tanto tempo! Sempre quis o ruivo alaranjado, mas nunca consegui atingir esse tom, então resolvi pintar o cabelo e casa e... Agora tenho uma cor linda com três tons de loiro!

7 - Estudar uma hora por dia, no minimo (até passar em um concurso);
8 - Passar num BOM concurso;
9 - Me exercitar mais;

10 - Comprar uma bateria nova para o meu celular; (07/06/2014)
SIM! Consegui a bateria nova para o meu celular. Não sei porque, o meu Gran Duos viciou a bateria antiga e, mesmo com carga total, ela durava só 3 horas. Agora, estou feliz e contente usando uma bateria que dura um dia e meio, Wee!!

11 - Fazer um curso de Cupcake;
12 - Fazer um curso de Mangá/Desenho;
13 - Fazer alguns projetos "DIY" que estão na gaveta;
14 - Começar a tocar violino.

    Adoraria colocar TATUAGEM na lista, mas tenho certeza que não farei uma esse ano e talvez não faça ano que vem, nem no outro, nem...
    _________________________________________________________________________________
    Atualização - 06/06/2014 - Troquei  "Escrever mais para alguns amigos" por "Começar a tocar violino".

    23 de maio de 2014

    Top 5: Filmes Que Me Fazem Chorar


    Eu nunca fui de chorar muito em filmes, não gosto de chorar, nunca gostei e evito seriamente os filmes tristes, com cãezinhos ou crianças doentes, mas existem alguns filmes que eu não posso nem passar perto de um trailer ou uma cena que já começo a chorar. Senhoras e senhores, os filmes que me fazem chorar loucamente são:


    1 - À espera de um Milagre (The Green Mile - 1999)

    "O filme é ambientado em 1935 e conta a história de Pau Edgecomb, guarda da prisão e John Coffey, um homem condenado a morte pelo assassinato de duas garotinhas."

    Existe filme mais triste do que "À Espera de um Milagre"? Não é um filme proibido pra mim e é muito bom, então quase sempre assisto quando vejo passando na TV, só que eu sempre choro muito, muito, muito no final desse filme.




    2 - Coração valente (Braveheart - 1995)

    "O filme retrata a figura histórica de William Wallace e contar mais do que isso é estragar o filme para qualquer pessoa que ainda não tenha visto."

    Assisti coração valente duas vezes. Era um dos filmes preferidos do meu pai e eu vivia fugindo pra não ter que assistir sempre. Ele é um dos filmes proibidos da minha lista. É proibido porque eu me recuso a assistir não importa o que aconteça, não vejo "Coração Valente" nunca mais na minha vida. É um ótimo filme e Mel Gibson está num papel incrível, mas eu não consigo segurar o choro quando ele grita "LIBERDADE". Olha, só de lembrar já da vontade de chorar.


    3 - Gladiador (Gladiator - 2000)

    "No final do reinado de Marcus Aurelius, o imperador desperta a ira de seu filho Commodus ao tornar pública sua predileção em deixar o trono para Maximus (Russell Crowe), o comandante do exército romano."

    Gladiador é outro filme proibido. Não tenho muito o que dizer sobre ele ou começo a chorar. Só o assisti uma vez e até que lembro bem da história toda, mas choro praticamente o filme todo, chorando ainda mais quando ele passeia pelo campo de trigo, tocando-os com as pontas dos dedos. TRISTE, triste, triste!!


    4 - AI - Inteligência Artificial (A.I. Artificial Intelligence - 2001)

    "Na metade do século XXI, o efeito estufa derreteu uma grande parte das colatas polares da Terra, fazendo com que boa parte das cidades litorâneas do planeta fiquem parcialmente submersas. Para controlar este desastre ambiental a humanidade conta com o auxílio de uma nova forma de computador independente, com inteligência artificial, conhecido como A.I. É neste contexto que vive o garoto David Swinton (Haley Joel Osment), que irá passar por uma jornada emocional inesquecível."

    Outro filme que só assisti uma vez e não pretendo ver nunca mais! Quem resiste ao amor daquele garoto pela mãe ou o ursinho correndo atras dele ou ele gritando que não é robô!? Ótimo filme, mas muito, muito triste.


    5 - Armageddon (1998)

    "Restando apenas 18 dias para o choque entre a Terra e o asteróide, a única solução possível é enviar astronautas em um ônibus espacial até a superfície do asteroide e lá perfurar 800 pés para colocar um bomba nuclear, detonando-a por controle remoto. "

    Apesar de emocionante, assisto "Amargeddon" sempre que vejo passando na televisão. A amizade entre aqueles homens, o amor dele por sua filha e a música... Felizmente, só choro no final e o filme tem algumas partes engraçadas e leves, mas passei alguns anos sem poder ver nada sobre o filme, hoje já me curei!


    Essa lista só deixa claro o quão velha estou ficando, mimimi. Titanic estaria na lista se eu já não tivesse assistido tanto que fiquei imune. Titanic passou da lista de filmes para chorar, direto para a minha lista de filmes clássicos.

    E ai, quais são os filmes que te fazem chorar?

    22 de maio de 2014

    O Segredo Do Meu Marido - Liane Moriarty

    Autor(a): Liane Moriarty | Gênero: Ficção | Ano: 2014 | Páginas: 368| Editora: Intrínseca.

    Sinopse:
    "Cecilia é um exemplo para a vizinhança: tem uma vida confortável, mantém um casamento estável com John-Paul e é mãe de três meninas. Sua vida segue tão dentro dos trilhos que ela até se pergunta como seria se houvesse uma pitada de emoção em sua rotina extremamente planejada. Mas, quando encontra uma carta de seu marido endereçada a ela no sótão de casa, o primeiro dilema se estabelece e Cecilia cogita se deve ou não investigar o conteúdo de algo que foi escrito à época do nascimento de sua primeira filha. Ela coloca sua curiosidade à prova e avalia se o segredo representa algum tipo de impacto em sua família. O comportamento de John-Paul, que em alguns momentos sugere haver algo errado, contribui para suas dúvidas. Ele pede para que a carta seja deixada de lado, afirma que não há nada de interessante em um bilhete escrito tanto tempo antes, sob a forte emoção de ser pai pela primeira vez, e assegura que tudo não passou de um ímpeto da juventude. Mas Cecilia não se convence tão fácil. Quando o segredo é finalmente revelado, ela vai perceber que se trata de algo que pode destruir bem mais que apenas seu casamento."

    O segredo do meu marido foi um dos lançamentos de Março da editora Intrínseca e baixei o primeiro capítulo que a própria editora disponibilizou umas semanas antes do lançamento. Quer me chamar a atenção pra algum livro/filme/conto/história é colocar a palavra "Segredo" em algum lugar no título ou na sinopse. Sou uma pessoa MUITO curiosa e não me venha com "Preciso te contar uma coisa", que eu não descanso até você contar.

    O único problema do livro é o primeiro capítulo. O primeiro capítulo parece uma coisa a parte de todo o livro. Aquela história toda com o muro de Berlin é bem irritante e, mesmo sabendo que o primeiro capítulo é de todo importante para a história, não acho que ele faça justiça ao restante do livro. Li o primeiro capítulo achando que o segredo se arrastaria durante o livro todo e só seria revelado no ultimo capítulo cheio de tragédias e lágrimas e isso me fez demorar para pegar o livro e ler além daquilo.

    Enfim, a história gira em torno de Cecília, John-Paul e seu segredo. Os capítulos dois e três apresentam personagens importantes na história que passa a girar em volta de Cecília e seu casamento quase perfeito com John-Paul e seu segredo, Tess, sua prima Felicity e seu esposo Will e, por fim, mas nada menos importante Rachel e seus filhos Rob e Janie.

    Aos poucos, o livro apresenta mais alguns personagens importantes e segredos que, a cada capítulo, são revelados, juntando ainda mais as vidas de Cecília, Tess e Rachel. A carta com o segredo de John-Paul só é descoberta graças a curiosidade de Esther, filha de Cecília, com relação ao muro de Berlin. Ela está totalmente fascinada e viciada com a história do muro de Berlin e existem tantas passagens sobre o muro no livro, que você fica tão cheia dele quanto Cecília e seu marido ficam. Após encontrar a carta, a demora de Cecília em abri-la só me deixava cada vez mais angustiada, eu a teria aberto no mesmo minuto em que a achei.
    Capas do Livro Pelo Mundo

    Se eu soubesse que a história seria narrada com maestria, que não haveria buracos nos segredos e que o livro era simplesmente fantástico, não teria demorado tanto para começar a ler. Liane Moriarty nos traz uma história incrivelmente fascinante sobre lealdade, amor, culpa e a dor de perder alguém que você ama de verdade.

    É impossível não se identificar com uma das personagens principais e no começo você tem a impressão de que as histórias serão contatas em paralelo e que Cecília, Tess e Rachel não tem nada em comum uma com a outra e jamais se encontrarão durante o livro, o que se prova o contrário alguns capítulos mais a frente. O Segredo de John-Paul junta a vida dessas mulheres de um jeito totalmente inesperado. Confesso que torci para Cecília contar o segredo para todos e, ao mesmo tempo, torcia para que ela o ignorasse e continuasse a viver sua vida, afinal, já haviam se passado muitos anos. Vê-la carregando o segredo de seu marido é tão doloroso que às vezes, sentia como se eu o estivesse carregando junto com ela.

    O segredo do meu marido é um livro ótimo, muito bem escrito e tem um final inesperado. Li o livro em uma noite, não consegui parar de ler até ver o desfecho de cada personagem, então se você gosta de um bom segredo e de uma história bem escrita e com uma narrativa leve, corra para ler "O segredo do Meu Marido". Você vai ficar chocado com o "Epílogo". Nenhuma resenha vai fazer justiça ao livro, então, recomendo que você leia o livro agora e depois venha aqui me contar o que achou.

    Infelizmente, o primeiro capítulo não está mais disponível na página da editora, mas você pode conferir o vídeo com uma entrevista com Liane Moriarty clicando AQUI.


    18 de maio de 2014

    "Os Reinos de Cérebro e Coração" - Marília Prata

    http://3.bp.blogspot.com/_OwVZiXxRz1U/TFOJw0QStrI/AAAAAAAAAC8/WAH0DQbt40w/s1600/castelo.jpg
    Era uma vez, em um lugar não muito distante, mas também não tão perto assim, no continente de Ser Humano, dois grandes reinos: Cérebro e Coração. Embora independentes entre si, estes dois reinos, que eram os mais importantes dali, estavam constantemente a derramar influências políticas um sobre o outro, visto que a escolha de novos representantes para o exercício do poder poderia gerar consequências para ambas as regiões. Aliás, os efeitos de tais escolhas poderiam inclusive fugir do controle e ir muito mais além, atingindo totalmente a área do continente de Ser Humano.
    Desde que Infância havia partido do reino de Coração, época que coincidiu com o desenvolvimento de Cérebro, o poder centralizou-se nas mãos de quatro sentimentos: Amor, Ira, Solidão e Tristeza. Destes, era Amor considerado o sentimento mais belo e perfeito de todos os já conhecidos, tanto era que seu número de admiradores, fosse em Cérebro, fosse em Coração, faria qualquer um se perder facilmente em meio às contas. Isso se dava pois, independentemente das circunstâncias, Amor sempre aparecia como um sentimento puro, ingênuo, inatingível por qualquer mal.
    Desta maneira, quando não se encontrava no poder, Amor estava sendo procurado para tal cargo ocupar, o que, de certo modo, incomodava Ira, Tristeza e Solidão. Certo dia, então, os três sentimentos receberam uma estranha e inesperada visita. Inveja, uma velha feiticeira, que em todo lugar estava e de tudo sabia, apareceu no grandioso castelo habitado pelos quatro sentimentos, e, somente ao ter certeza de que aqueles eram os três únicos sentimentos no local, injetou em cada um deles um pouco de seu próprio sentimento.

    - Ó, Grande Inveja, explicai-vos então, se como o Amor jamais conseguireis ser, de que maneira podereis vós atingi-lo, roubando-lhe todo o poder? – indagou Tristeza, melancolicamente.
    Inveja silenciou-se, como se pensasse , embora já soubesse a resposta para a pergunta há muito tempo.

    - Vamos, digas de uma vez! Toda essa demora já me faz aborrecido! – Ira apressava-a, afundando em impaciência.
    Quanto à Solidão, esta nada disse ou nada fez, pois sozinha estava.

    - Há algo, - ela começou, com sua voz rouca e fina, enquanto apoiava sua velhice em um aparentemente frágil pedaço de madeira – Que Amor sempre carregou nas costas, embora poucas sejam as ocasiões nas quais possamos vê-lo. Sofrimento é o seu nome, e ele é um fardo do qual o Amor jamais se livrará.
    Os três sentimentos entreolharam-se momentaneamente, com a urgente necessidade de compreender como tal descoberta poderia lhes servir, o que tornou-se evidente quase de maneira instantânea. Quando, então, viraram para agradecer a velha feiticeira, ela ali já não mais estava; fora embora tão misteriosamente quanto havia surgido.
    Passaram-se, assim, os dias, sem que, em momento algum, Amor desconfiasse do tal acontecimento. Pouco tempo depois, Razão, rei do reino Cérebro, foi apresentado a um mensageiro vindo de Coração, o qual, antes de partir, uma carta lhe entregou. O Rei leu-a sem demora, imaginando que o documento não poderia tratar de nada mais do que de uma terrível desgraça, e ele não deixou de estar correto, pelo menos não no seu ponto de vista.

    - Tragam aqui meu irmão. Depressa! – gritou o rei para os serviçais Neurônios, os quais, sem delongas, obedeceram à sua ordem. Logo, Pensamento apareceu, postando-se respeitosamente em sua frente.
    - Ordenou que me chamassem, meu caro irmão?
    - Ó, Pensamento, não tenhas medo, aproxime-se de mim. Pressinto que algo trágico, muito trágico ocorrerá se eu de nenhum modo agir, e preciso de teus preciosos conselhos para me guiar.
    - Caro irmão, tu tens calma, que não consigo entender-te. O que há neste papel que seguras com tanta angústia?
    - Amor. Amor não é o sentimento tão perfeito que imaginávamos. Dentro dele existe o Sofrimento. Como pode, meu irmão, como pode! Dois sentimentos tão opostos a ocupar o mesmo espaço, como pode! Diga-me!
    - Razão, ouça-me...
    - Não! Não posso perder mais deste precioso tempo que me resta. Nosso reino, nosso continente inteiro poderá ficar completamente devastado se porventura o Amor der espaço ao Sofrimento. Não me entendas mal, nunca pretendi gastar estes poucos minutos à toa, mas preciso ir agora. Em breve estarei de volta.
    E foi. Quando voltou, Amor havia sido cruelmente enxotado para fora do reino de Coração, com a ordem de nele nunca mais voltar, pois um sentimento supostamente tão bom não deveria ser capaz de causar tamanha dor e, se fosse para ser assim, não deveria permitir-se sequer sua existência.
    O que ninguém esperava ou sabia era que do governo de Ira, Tristeza e Solidão iria prosperar algo ainda mais devastador e monstruoso do que qualquer um poderia imaginar. A conjugação de poderes dos três sentimentos teve como fruto a terrível Morte, cujas asas negras afundaram o continente nas mais profundas trevas.
    Sua força maligna era inigualável. Consequentemente, muitos sentimentos não suportaram e desapareceram no reino de Coração, enquanto Cérebro foi tomado por uma enlouquecedora melancolia. Completamente arrependido de seus atos, Razão novamente saiu para se aventurar, agora com o intuito de trazer o Amor de volta, mas o que encontrou foi apenas Decepção e Derrota.

    - Pensamento. – chamou o irmão. Já não tinha muitas forças.
    - Pois não, irmão?
    - O que querias tu me dizer naquele dia, antes que eu te interrompesse e fosse embora? O que eu precisava saber, porém estupidamente ignorei, e por que não posso de forma alguma encontrar o Amor? Responda-me, meu irmão. Tu, que tens provado ser tão superior a mim.
    - Cara Razão. Há uma coisa que poucos sabem, talvez sequer cheguem a saber um dia. Embora o Amor possa acarretar o Sofrimento, ele é o único sentimento capaz de fazer com que nos sintamos verdadeiramente vivos, por menor que seja a duração desta sensação tão bela. Sem ele, estaríamos destinados a viver em um estado de Morte Eterna, e a conclusão a que se chega é a de que, às vezes, o sofrimento passageiro é indiscutivelmente melhor do que o nada constante. Quanto a achar o Amor, não te preocupes com isso. Ele é extremamente fiel ao seu reino, um dia retornará. De nada adiantará procurá-lo. É ele quem o encontrará.

    Com estas palavras ditas, Pensamento saiu, deixando o irmão sozinho para que pudesse refletir.


    Sobre o Autor:
    Marília Prata Marília Prata

    A Melhor pessoa que você pode vir a conhecer nessa vida.

    17 de maio de 2014

    "Corações Feridos" - Louisa Reid (2013)


    Autor(a): Louisa Reid | Gênero: Ficção | Ano: 2013 | Páginas: 256| Editora: Novo Conceito

    Sinopse:
    "Hephzibah e Rebecca são irmãs gêmeas, mas muito diferentes. Enquanto Hephzi é linda e voluntariosa, Reb sofre da Síndrome de Treacher Collins — que deformou enormemente seu rosto — e é mais cuidadosa.
    Apesar de suas diferenças, as garotas são como quaisquer irmãs: implicam uma com a outra, mas se amam e se defendem. E também guardam um segredo terrível como só irmãos conseguem guardar. Um segredo que esconde o que acontece quando seu pai, um religioso fanático, tranca a porta de casa.
    No entanto, quando a ousada Hephzibah começa a vislumbrar a possibilidade de escapar da opressão em que vive, os segredos que rondam sua família cobram-lhe um preço alto: seu trágico fim. E só Rebecca, que esteve o tempo todo ao lado da irmã, sabe a verdadeira causa de sua morte...
    Hephzi sonhara escapar, mas falhara. Será que Rebecca poderia encontrar, finalmente, a liberdade?"

    Corações Feridos é um livro, aparentemente, simples: Duas irmãs, alguns segredos, só uma delas sobrevive.

    Hephzi narra sua vida antes de sua morte e Rebecca, por sua vez, narra sua vida após a morte da irmã. Logo no primeiro capítulo você fica sabendo que Hephzi está morta, mas a pergunta que você se faz a cada parágrafo é "Como ela morreu?" e isso me fez ler o livro sem parar. Não foi preciso mais do que uma noite pra terminar "Corações Feridos". É um livro com uma narrativa ótima, em primeira pessoa, alternando entre Hephzi e Reb.

    As duas garotas sempre viveram uma vida privada dos prazeres normais e sempre estavam cercadas por seus pais fanáticos religiosos, cruéis e autoritários. As duas só os tinham um gostinho de ser normais quando iam visitar a avó, que as tratava igualmente, como duas crianças normais com desejos e vontades, mas tudo começa a mudar quando elas passam a frequentar a escola.

    Rebecca é uma garota deformada pela Síndrome de Treacher Collins e já no primeiro capítulo você nota como ela é mais quieta e prefere ficar nas sombras, escondida de tudo e todos, resignada quanto ao seu destino. Já Hephzi era bonita, meiga e divertida, um espírito livre. Todos na escola a adoravam e não demora muito pra ela ter amigos e um pretenso namorado, deixando a irmã completamente de lado, como um peso, algo que realmente a envergonhava, mas Rebecca não a ama menos por isso, no fundo, ela encontra razões para justificar a si mesma as ações da irmã.

    "Empurrei Rebecca para trás de mim e, de repente, pela primeira vez, não tive medo". - Hephzibah

    A narrativa é cheia de mistérios e segredos, não há como contar mais do livro sem entregar algum desses segredos. O livro é tenso, comovente e, às vezes, assustador, te levando a não parar de ler até desvendar todos os mistérios que cercam as irmãs e, assim, você se afunda cada vez mais na história, sentindo o que elas sentem, sofrendo o que elas sofrem, descobrindo, a cada capítulo, mais abusos e dificuldades enfrentadas pelas irmãs.

    A autora conduz a história com maestria e não deixa nenhuma falha, nenhum segredo fica sem a devida atenção. Ela consegue criar uma história densa e cheia de mistérios, mas no final, tudo é esclarecido sem nenhum buraco, sem nenhuma falha.

    Louisa Reid criou um livro fantástico, perturbador, que mexe com o leitor. Se você gosta de mistérios e segredos, "Corações Feridos" é um livro perfeito.

    "Há uma cicatriz no meu coração causada pela morte da Vovó e outra pelo dia em que pela primeira vez Hephzi não quis acompanhar-me na volta da escola para casa." - Rebecca

    Clique AQUI para baixar o primeiro capítulo disponibilizado pela Editora Novo Conceito.



    13 de maio de 2014

    Constantine vira série


    Diz a lenda que Constantine, criado por Alan Moore, vai virar série. (TODOS COMEMORA \õ/)

    Baseada nos HQs, a série Constantine foi aprovada pela emissora norte-americana NBC e ganhou o primeiro Traier. John Constantine será interpretado por Matt Ryan e ainda conta com Charles Halford (True Detective) e Harold Perrineau (Lost) no elenco.

    A série trás as aventuras do nosso querido John Constantine, especialista em assuntos sobrenaturais, que deixa a aposentadoria pra ajudar Liv, a filha de um velho amigo, interpretada por Lucy Griffiths. Ainda não se sabe muito sobre a série, mas sabe-se que é escrita e produzida por David S. Goyer (roteirista que ajudou Christopher Nolan a criar a trilogia Batman: O Cavaleiro das Trevas) e de Daniel Cerone (Dexter e The Mentalist).

    Eu não sabia que a critica tinha considerado o filme Constantine (2005) um fracasso. É um filme que eu gosto muito, acho os efeitos ótimos e a atuação de Keanu Reeves é uma das minhas preferidas dele e mesmo que muitos fãs digam que o filme não tem quase nenhuma ligação com o HQ original, eu gosto muito do filme.

    Você pode conferir o trailer abaixo e vamos torcer para que seja uma série incrível!



    11 de maio de 2014

    Salém (2014)


    Produtor(es): Adam Simon, Brannon Braga, Jeff Kwatinetz, Josh Barry | Gênero: Fantasia, Drama, Suspense, Terror | Ano: 2014 | Transmissão: WGN America

    Enredo:
    "A série é ambientada em Salem, nos Estados Unidos do século 17 e acompanha John Alden, um guerreiro que retorna após 10 anos e descobre que a cidade está em meio a uma grande histeria de bruxas, enquanto Mary, um amor do passado de John, é uma das principais e muito poderosa bruxa do coven."

    A série estreou no dia 20 de Abril de 2014 nos EUA. Até agora foram exibidos 03 (três) episódios "The Vow", The Stone Child" e "In Vain".

    Gosto muito de Bruxas, mistério, terror, suspense e tudo o que envolve magia. Um dos meus filmes preferidos sobre bruxas é "Abracadabra" (1993). É bobo, eu sei, mas é tão legal, tem magia e bruxas e um gato preto que morre e revive. É um ótimo filme, ok?

    A promessa de "Salém" é ser uma série que acompanha os julgamentos das mulheres acusadas de bruxaria em uma aventura cheia de acontecimentos sobrenaturais, romance e ação. Um prato cheio pra quem gosta de magia.

    Se você conseguir quebrar a barreira do primeiro episódio que é chatíssimo e lento, você se depara com outros dois episódios um pouco mais rápidos e com Bruxas (Todos Comemora). Em suma, o primeiro episódio se incumbe de apresentar os personagens e um pouco de suas vidas. Os primeiros que conhecemos são Issac "o fornicador", George Sibley que é um dos homens mais influentes da cidade, Mary que é uma garota jovem e apaixonada por John Alden que a deixa sozinha em Salém para lutar na guerra e, é claro, John Alden que parece ser o personagem principal da série.

    No Segundo episódio, a história começa a andar. John Alden, que foi dado como morto na guerra, volta a Salém em busca de Mary, que agora está casada com George Sibley e é uma das bruxas mais poderosas de Salém. Até o terceiro episódio, não se deixa claro como Mary deixou de ser uma camponesa jovem e assustada para se tornar uma bruxa poderosa. Espero que isso se explique mais para frente.

    Outra coisa que não entendo na série, é o que deu na cabeça desses produtores pra achar que para fazer magia a bruxa precisa estar nua. Não entendo a ligação de uma coisa com a outra. Ok, bruxas tem essa ligação forte com a natureza, a floresta e a terra, mas precisava ficar nua em cada cena de magia?

    Há muito sangue jorrando em todos os capítulos, muito enforcamento, videntes bizarros, bruxas desfiguradas, muita gente nua e um pouco de magia no meio de tudo isso, além de um conselho que investiga a bruxaria em Salém.

    Por enquanto, a série tem melhorado a cada capítulo e o final de cada um te deixa curioso para ver o próximo e assim por diante como toda série deve ser.

    Quando eu terminar de assistir a primeira temporada, venho aqui atualizar o post com a minha opinião que destrói ao mesmo tempo que elogia!



     
    © LuMartinho | 2015 | Todos os Direitos Reservados | Criado por: Luciana Martinho | Tecnologia Blogger. imagem-logo