6 de agosto de 2014

Assisti: Godzilla (2014)


Godzilla (2014)


Gênero: Ficção científica , Ação , Aventura

Sinopse: Joe Brody (Bryan Cranston) criou o filho sozinho após a morte da esposa (Juliette Binoche) em um acidente na usina nuclear em que ambos trabalhavam, no Japão. Ele nunca aceitou a catástrofe e quinze anos depois continua remoendo o acontecido, tentando encontrar alguma explicação. Ford Brody (Aaron Taylor-Johnson), agora adulto, é soldado do exército americano e precisa lutar desesperadamente para salvar a população mundial - e em especial sua família - do gigantesco, inabalável e incrivelmente assustador monstro Godzilla.


Adoro filmes sobre o Godzilla desde que me lembro. Na verdade, adoro qualquer filme que tenham monstros que destruam cidades sem escrúpulo nenhum e a polêmica que rodava em torno do novo filme do Godzilla era enorme. Algumas pessoas adoraram, outras odiaram profundamente.

O filme conta a história de Joe Brody que passa a criar o filho sozinho após a morte (BIZARRA) da esposa em um acidente na usina nuclear em que trabalhavam, no Japão. Ford Brod, filho de Joe é soldado do exercito americano, é casado e tem um filho.

Os personagens são rasos e nós acabamos não nos apegando a nenhum deles. O unico personagem possivel de desenvolver alguma espécie de simpatia acaba morrendo e você fica com atores que não conseguem fazer com que seus personagens criem alguma ligação com o publico e, por mais que tente, Ford parece não ter sentimentos, mesmo quando deveria sentir dor, ele não parece sentir nada.

Tudo bem, esqueçamos os personagens rasos e vamos pensar em Godzilla e seus inimigos. Quando o  ovo finalmente se choca, esperamos ver um dinossauro enorme e assassino, pisoteando tudo e todos por onde passa, mas acabamos por ver uma nova espécie de monstro meio aranha, meio mosquito. Godzilla mesmo só aparece do meio para o final do filme e para ficar ainda mais estranho, ele não quer destruir o Japão e todas as pessoas que moram ali, mas sim combater o monstro aranha-mosquito porque, aparentemente, é o que o Godzilla faz por natureza.

O personagem principal do filme deveria ser o Godzilla e, no fim, ele é o Monstro e o Herói ao mesmo tempo, numa mistura confusa de acontecimentos e apesar dos cortes pré cenas emocionantes, quando os monstros finalmente se encontram para um conflito sem cortes, é muito bom. Os raios azuis que saem da boca do Godzilla compensam toda a enrolação do filme.

Enfim, se você é como eu e espera muita ação e cenas emocionantes com Godzilla e seus inimigos naturais, é melhor deixar para o próximo filme, mas se quer assistir algo que não te faça pensar e te divirta ao mesmo tempo, recomendo Godzilla (2014) afinal, todos amam o Godzilla.


Curiosidade: O filme celebra os sessenta anos da primeira aparição de Godzilla nas telas, que aconteceu no filme homônimo japonês de 1954.

4 de agosto de 2014

Colocando Papel de Parede


Eu já devo ter falado, mas não custa nada dizer de novo que o blog andou bem paradinho porque eu estava de MUDANÇA, OE que felicidade!

Me mudar era uma das coisas 14 coisas para se fazer em 2014, na verdade, venho desejando me mudar há mais de um ano e, agora, eu tenho um closet, mesmo que eu não quisesse um. É mais um quarto sem graça e sem vida que você precisaria de MUITA imaginação pra conseguir visualizar algo ali dentro. Foi ai que surgiu a ideia de colocar papel de parede pra dar uma vida ao quarto que chamam carinhosa e exageradamente de closet.

Comprei esse papel de parede na Leroy Merlin e paguei R$129,90 cada rolo. É um papel com estampa delicada e o mais legal é que tem textura. O unico problema é que não é autoadesivo, então eu teria que preparar a cola e aplicar com a cara e a coragem.


A ideia original era colocar papel de parede somente na sala e foi lá que eu treinei meus dotes de aplicação de papel. Errei bastante no papel da sala, com direito a colocar a estampa de ponta cabeça (SIM, eu fiz isso), mas no fim, acabou dando tudo certo e a sala ficou maravilhosa.


Na foto, vocês podem ver o papel de parede de ponta cabeça (¬¬') e o trabalho pela metade com o papel do lado certo.Abaixo, a foto com a parede finalizada.


Tentei tirar algumas fotos do passo a passo do papel do closet, mas é claro que eu esqueci de vários passos. Existem vídeos na internet que ensinam direitinho como colocar, só acho que a história de cortar todas as tiras antes de passar a cola não vale a pena, prefiro medir, cortar, passar cola, esperar um minuto e só então aplicar na parde pra depois medir o próximo papel, caso contrário, você vai perder muito papel sem necessidade.

Medindo na parede.

Cortando o excesso
Aplicando Cola
A cola fica viscosa, parece um gel de cabelo e é bom aplicar uma camada generosa no papel, já que ao passar a espátula, o excesso de cola vai sair.

Dobrando
Vale a pena tomar cuidado com as bolhas de ar e as bolhas de cola, porque as de cola não desmancham, elas secam e ficam altas, então, vá passando a mão e sentindo bem onde ainda existe ar antes de finalizar com a espátula de silicone.



No final, ficou assim e eu amei o resultado, tanto da sala quanto do closet, não vejo a hora de terminar de arrumar tudo em seu devido lugar!


3 de agosto de 2014

Mega Artesanal 2014


A Mega Artesanal aconteceu aconteceu na ultima semana (22 a 26 de Julho de 2014) no Centro de Exposições Imigrantes em São Paulo e eu dei uma passada por lá no dia 25 para ver as novidades de artesanato e me impressionei com o que achei por lá.

Visitei a Mega em 2009/2010 e não era 1/3 do tamanho que a Mega tem hoje. É uma overdose de materiais, técnicas, artistas, público e tudo o que esteja relacionado com a arte do "faça você mesmo". Não consegui ver metade do que tinha planejado e queria ter ido mais um dia.

A feira estava enorme esse ano e trazia todos os tipos de artesanato, sem preconceito com nenhuma espécie de arte. Abaixo, as fotos que tirei da feira.

Peter Paiva tinha um estande lindo e enorme chamado "Sonholândia". Estava tão cheio que eu não consegui entrar para tirar fotos dos sabonetes. 

Estande da Tamako


Estande Arte Fácil

Estande Arte Fácil.

Estande Glory Laser.


Evandro Schiavone - Nathan Santos




Evandro Schiavone - Nathan Santos


                       











Comprei os papéis dessa arte para fazer algo parecido - SS-088















Dá pra ver que a criatividade não tem limites na Mega Artesanal. Gostaria de ter tempo e criatividade pra criar coisas como essas. Adoro Scrapbook e não faltaram idéias na feira. Espero ficar livre na mesma época do ano que vem para visitar a Mega Artesanal mais uma vez.


Lembrando que as fotos são de minha autoria, mas as peças nelas retratadas são de total responsabilidade de seus criadores e tem todos os direitos reservados.
 
© LuMartinho | 2015 | Todos os Direitos Reservados | Criado por: Luciana Martinho | Tecnologia Blogger. imagem-logo