6 de agosto de 2014

Assisti: Godzilla (2014)


Godzilla (2014)


Gênero: Ficção científica , Ação , Aventura

Sinopse: Joe Brody (Bryan Cranston) criou o filho sozinho após a morte da esposa (Juliette Binoche) em um acidente na usina nuclear em que ambos trabalhavam, no Japão. Ele nunca aceitou a catástrofe e quinze anos depois continua remoendo o acontecido, tentando encontrar alguma explicação. Ford Brody (Aaron Taylor-Johnson), agora adulto, é soldado do exército americano e precisa lutar desesperadamente para salvar a população mundial - e em especial sua família - do gigantesco, inabalável e incrivelmente assustador monstro Godzilla.


Adoro filmes sobre o Godzilla desde que me lembro. Na verdade, adoro qualquer filme que tenham monstros que destruam cidades sem escrúpulo nenhum e a polêmica que rodava em torno do novo filme do Godzilla era enorme. Algumas pessoas adoraram, outras odiaram profundamente.

O filme conta a história de Joe Brody que passa a criar o filho sozinho após a morte (BIZARRA) da esposa em um acidente na usina nuclear em que trabalhavam, no Japão. Ford Brod, filho de Joe é soldado do exercito americano, é casado e tem um filho.

Os personagens são rasos e nós acabamos não nos apegando a nenhum deles. O unico personagem possivel de desenvolver alguma espécie de simpatia acaba morrendo e você fica com atores que não conseguem fazer com que seus personagens criem alguma ligação com o publico e, por mais que tente, Ford parece não ter sentimentos, mesmo quando deveria sentir dor, ele não parece sentir nada.

Tudo bem, esqueçamos os personagens rasos e vamos pensar em Godzilla e seus inimigos. Quando o  ovo finalmente se choca, esperamos ver um dinossauro enorme e assassino, pisoteando tudo e todos por onde passa, mas acabamos por ver uma nova espécie de monstro meio aranha, meio mosquito. Godzilla mesmo só aparece do meio para o final do filme e para ficar ainda mais estranho, ele não quer destruir o Japão e todas as pessoas que moram ali, mas sim combater o monstro aranha-mosquito porque, aparentemente, é o que o Godzilla faz por natureza.

O personagem principal do filme deveria ser o Godzilla e, no fim, ele é o Monstro e o Herói ao mesmo tempo, numa mistura confusa de acontecimentos e apesar dos cortes pré cenas emocionantes, quando os monstros finalmente se encontram para um conflito sem cortes, é muito bom. Os raios azuis que saem da boca do Godzilla compensam toda a enrolação do filme.

Enfim, se você é como eu e espera muita ação e cenas emocionantes com Godzilla e seus inimigos naturais, é melhor deixar para o próximo filme, mas se quer assistir algo que não te faça pensar e te divirta ao mesmo tempo, recomendo Godzilla (2014) afinal, todos amam o Godzilla.


Curiosidade: O filme celebra os sessenta anos da primeira aparição de Godzilla nas telas, que aconteceu no filme homônimo japonês de 1954.

Comente com: ou

0 comentários:

Postar um comentário

 
© LuMartinho | 2015 | Todos os Direitos Reservados | Criado por: Luciana Martinho | Tecnologia Blogger. imagem-logo