16 de dezembro de 2014

Cartas De Amor Aos Mortos - Ava Dellaira


Autor(a): Ava Dellaira | Gênero: Ficção | Ano: 2014 | Páginas: 344| Editora: Seguinte

Sinopse: Prestes a começar o ensino médio, Laurel decide mudar de escola para não ter que encarar as pessoas comentando sobre a morte de sua irmã mais velha, May. A rotina no novo colégio não está fácil, e, para completar, a professora de inglês passa uma tarefa nada usual: escrever uma carta para alguém que já morreu. Laurel começa a escrever em seu caderno várias mensagens para Kurt Cobain, Janis Joplin, Amy Winehouse, Elizabeth Bishop… sem nunca entregá-las à professora.
Nessas cartas, ela analisa a história de cada uma dessas personalidades e tenta desvendar os mistérios que envolvem suas mortes. Ao mesmo tempo, conta sua própria vida, como as amizades no novo colégio e seu primeiro amor: um garoto misterioso chamado Sky.
Mas Laurel não pode escapar de seu passado. Só quando ela escrever a verdade sobre o que se passou com ela e com a irmã é que poderá aceitar o que aconteceu e perdoar May e a si mesma. E só quando enxergar a irmã como realmente era - encantadora e incrível, mas imperfeita como qualquer um - é que poderá seguir em frente e descobrir seu próprio caminho.

"Cartas De Amor Aos Mortos" conta a história de Laurel, uma adolescente que acabou de perder a irmã e trocou de escola para que as pessoas não sentissem pena dela. Sua mãe foi morar na Califórnia e mal liga para ela, mas seu pai continua ali, ao seu lado, assim como a tia com quem ela passa semana sim, semana não. O livro aborda, também, a dificil tarefa de ser adolescente, o sexo, as drogas, os abusos, os segredos e os desejos de Laurel e seus amigos.

Eu não sou a rainha das resenhas e sei que, às vezes, me enrolo demais com alguns livros e, quando esses livros me afetam de um jeito todo particular como "Cartas De Amor Aos Mortos", fica ainda mais difícil falar sobre ele e é uma tarefa bem complicada para mim, pelo menos, falar sobre esse livro que não foi nada fácil de ler, mas eu vou tentar. Vamos lá...
"A arte de perder não é nenhum mistério;

tantas coisas contêm em si o acidente
de perdê-las, que perder não é nada sério."
Várias pessoas acharam o livro lindo, fantástico, perfeito, mas para mim ele é inteiramente triste. Tudo o que as irmãs May e Lauren passam é difícil, é triste e horrível. Laurel tenta ser o tempo todo como a irmã, ela deseja brilhar como May, voar como ela, ser feliz como a irmã aparentava ser, mas conforme você lê o livro, vê que May não era tão feliz ou brilhante como tentava aparentar sempre, na verdade, ela tinha cicatrizes, tristezas e angustias demais, mesmo que Ava não deixe exatamente claro quais eram.

Laurel sofreu por culpa do egoismo da irmã que fazia de tudo para protegê-la, mas era a que mais a machucava e não enxergava o que Laurel passava enquanto guardava seus segredos para que ela pudesse se "divertir" e Laurel sofreu, também, pelo amor que sentia pela irmã e por permanecer calada, como se não pensar no que havia acontecido fosse atenuar o sofrimento e, em suas cartas, Laureu conta sobre o que aconteceu como se fosse algo muito distante, tão distante como numa outra vida, mas aconteceu há um ano ou pouco menos que isso.
"May está no alto, bem naquele momento antes de saltar. Mas, nunca vai cair."
Durante as cartas que escreve para Kurt Cobain, Janis Joplin, Amy Winehouse entre outros, Laurel tenta analisar como foi a vida de cada um deles, o que sofreram e, também, conta o dia a dia dela, seu relacionamento com Sky, sua vida com o seu pai que ficou ao seu lado mesmo depois da morte da filha, da mãe que fugiu e da tia Amy. Com o decorrer do livro, é impossível não se apegar a Laurel ou suas amigas que também não tem vidas fáceis ou a Sky, um garoto misterioso e ao mesmo tempo frágil e inseguro por quem Laurel se apaixona intensamente.
"Então, fui até meu armário e estava procurando uma foto de May comigo, que fica ali dentro, quando reparei em outra coisa. Um convite para o baile da escola"
"Cartas De Amor Aos Mortos" é um livro extremamente bem escrito, a narração de Ava é leve e não te faz querer parar até desvendar cada segredo que Laurel ainda não contou, mas que as cartas a ajudam a tomar coragem de contar e assim, ter coragem de ser quem ela realmente é e deixar de viver na sombra da irmã morta, deixar de tentar ser feliz e brilhante como May e ser, somente, a Laurel e, com essa coragem, vem o perdão a si mesma por não ter contado tudo antes, o perdão da irmã por tê-la deixado tão repentinamente e a libertação para continuar vivendo.

Ava consegue abordar diversos assuntos polêmicos sem perdê-los de vista ou esquecê-los em algum capítulo. Consegue, também, abordar cada dificuldade vivida por Laurel e May com começo, meio e fim. Acho que a narrativa de Ava é tão perfeita e bem pensada que nenhum ponto da história ficou sem resposta e a personagem principal que começa infantil, insegura e sem personalidade, evolui tão espontaneamente com a narrativa que fica extremamente natural, um amadurecimento lento, mas natural.
"Mas, eu me perdoei. E perdoei você. May, eu amo você com tudo o que sou. Por muito tempo eu só queria ser como você. Mas, precisava descobrir que também sou alguém, e agora posso levar você, seu coração com o meu, aonde quer que eu vá."
Creio que todos que já perderam alguém que amavam tanto quanto a si mesmos vão entender o livro como eu entendi. Não é fácil perder alguém que faz parte de cada dia da sua vida e, do nada, decidir quem você é, do que você gosta, do que não gosta e, no fundo, você não sabe quem você é de verdade quando perde alguém como Laurel perdeu.

"Cartas De Amor Aos Mortos" é um livro incrível que fala da difícil tarefa de superar o luto,  perdoar e seguir em frente sem culpa. Eu não deveria ter demorado tanto tempo para lê-lo.

Para ler um trecho do livro disponibilizado pela editora, clique AQUI.

Comente com: ou

0 comentários:

Postar um comentário

 
© LuMartinho | 2015 | Todos os Direitos Reservados | Criado por: Luciana Martinho | Tecnologia Blogger. imagem-logo