29 de setembro de 2016

Não Se Pode Mais Amar Em Paz Hoje - Bruno Mota Pinheiro

Autor(a): Bruno Mota Pinheiro | Gênero: Contos | Ano: 2015 | Páginas: 115 | Editora: Onírica | Skoob
Comprar | Ler um Trecho do Livro

Sinopse: Não se pode mais amar em paz hoje é um livro realista. Com uma prosa solta, límpida, desapegada de ilusões e de excessos linguísticos, Bruno Mota Pinheiro tece uma cartografia sentimental dos dramas humanos, da fragilidade dos laços, da pequenez das certezas. Os personagens que habitam a escrita de Bruno Mota Pinheiro são, sobretudo, pessoas cotidianas, absolvidas em circunstâncias comuns, que, por isso mesmo, revelam-se densos, complexos, intensos na força impulsionadora da vida e do amor. É, pois, um livro que fala da condição humana, da contradição e do paradoxo que é existir e sentir. Com este livro, Bruno Mota Pinheiro revela-se um observador agudo e fino dos atos humanos. Utiliza uma escrita clara para demonstrar, concretamente, que a vida é um fanal de labirintos. E é preciso enfrentá-los. De fato, não se pode mais amar em paz hoje, nem ontem, muito menos amanhã, pois o amor --- ação humana --- é sobretudo um ato que exige coragem e enfrentamento. Tumulto, jamais calmaria. São assim estes contos: tumultuados, que exigem coragem...e profundamente amorosos.

Não sei quantas vezes eu prometi postar essa resenha, sempre fiquei enrolando porque não me sentia pronta o suficiente para passar para o "papel" tudo o que senti lendo o livro de Bruno. Lia e relia o que escrevia para a resenha e não achava que estava sendo justa com o livro ou com a escrita do autor, mas era chegada a hora de deixar a resenha sair e apresentar o livro para o maior número de pessoas.


Recebi o livro em Maio após um contato do autor e logo estava devorando os contos que Bruno nos apresenta. Li os contos fora de ordem mesmo, o livro me pediu isso e senti que, lê-los dessa forma, não afetou os sentimentos que Bruno tentava nos passar, mas quando não conseguia fazer a resenha, me obrigava a ler o livro mais uma vez e mais uma e outra.

O problema é que eu terminei o livro (várias vezes) e fiquei olhando para aquela obra linda, tanto de escrita quanto de diagramação, sem saber o que dizer, sem saber como passar para os leitores a delicadeza e as cutucadas nas feridas com que Bruno nos apresenta os dramas humanos, a vida e o amor.


Um dos meus contos preferidos está em ATOS e chama-se "Atos 8 - Gotas". Também gostei muito de "A Primeira Vez" e "Meu Sonho é Ser Puta", mas se contar um pouquinho que seja de cada um deles, entregarei-os e não seria justo com o livro ou com o conto. Você terá que ler para entender e, talvez, ame outros contos mais.

Parabéns a editora pelo trabalho incrível do livro, essa capa adorável e a qualidade das folhas do livro. Até meus irmãos, que não se importam muito com a qualidade da diagramação, elogiaram o livro quando o viram sobre minha mesa. Parabéns, também, ao Bruno que tem essa escrita extraordinariamente realista.


Leia "Não Se Pode Mais Amar Em Paz Hoje" com cuidado, com cautela e com o coração e a mente abertos. Quanto terminar de ler, leia novamente e se esbalde com essa obra sincera e cheia de amor.


*Livro cedido em parceria com o Autor.

_ _ _ _ 

Bruno Mota Pinheiro é formado em Língua e Literatura Espanhola pela Universidade Estadual do Ceará - UECE, professor, poeta, contista e apaixonado por letras. É cearense, nascido em Fortaleza e foi criado rodeado por grandes contadores de histórias, seu pai, quiçá, foi o maior deles. Talvez essa tenha sido a porta por onde entrou para o mundo da literatura.
desde pequeno, interessou-se pela literatura, começou, entretanto, com a poesia, ainda na adolescência. Desse início nos versos surgiu um livro, Retratos de abismo e outros voos, uma coletânea com 10 poetas contemporâneos cearenses e este, não se pode mais amar em paz hoje, é o seu primeiro livro de contos, fruto de uma reunião de histórias que ha  muito queriam sair da gaveta.

Comente com: ou

0 comentários:

Postar um comentário

 
© LuMartinho | 2015 | Todos os Direitos Reservados | Criado por: Luciana Martinho | Tecnologia Blogger. imagem-logo